domingo, 15 de junho de 2008

A nova Amy?!



Amy Ann Duffy (ou somente Duffy), é uma Amy Winehouse mais careta e certinha (o que, a julgar pela recente fase de Amy, é um ótimo caminho), mas muito mais "old school" de certa forma: seja pela voz, seja pelo visual, seja pela personalidade (doce mas forte, com um sex appeal muito discreto, e um sei-lá-o-quê de quem já sofreu poucas e boas na vida - viveu em um abrigo quando criança, quando seu padastro foi vítima de uma tentativa de homicídio, sofreu as consequências do alcoolismo dos pais, um casamento violento no passado, apesar de ter apenas 23 anos, etc.), ela lembra de forma muito mais autêntica e direta, sem "modernices", as grandes divas do soul dos anos 60 (como Dinah Washington e, principalmente, Dusty Springfield).

Suas músicas são perfeitas para dançar (principalmente sozinha, depois de uns drinks e com um microfone falso feito de escova de cabelo), namorar (a si própria também, depois dos tais drinks, de ter dançado e cantado com o microfone falso, naquela hora em que o sono está quase chegando e já estamos desabadas na cama, meio bambas e zonzas) e cozinhar (de preferência sozinhas, naqueles dias em que o almoço é só pra nós, depois de já ter, ao mesmo tempo, pendurado a roupa que estava na máquina, dado comida pro gato, atendido o telefone mil vezes, terminado a contabilidade do mês, no melhor estilo "multi-tarefas" do dia-a-dia).

Música de mulherzinha para mulherzinha, ou de mulherão para mulherão. Precisa dizer mais?!


.

Um comentário:

Alexandre disse...

Que legal, não conhecia esta cantora. Adorei, tem algo mesmo da Dusty Springfield, de quem gosto muito desde criança!

Alex